ENCONTRO DE CERAMISTAS EM PARATY

VOLTAR

Encontro de Ceramistas em Paraty

Tudo pronto para a 11a edição, que este ano concentra diversas atividades na Associação Paraty Cultural

Integrando o calendário cultural da cidade, um dos eventos mais esperados do ano vai acontecer nos feriados da Semana Santa, de 13 a 16 de abril. O XI Encontro de Ceramistas em Paraty chega com altas doses de beleza e criatividade, oferecendo atrações envolventes, capazes de atrair não apenas a ceramistas e artistas em geral, mas a todos os interessados nessa arte milenar do fazer à mão.

Este ano, o Encontro de Ceramistas concentra-se na Associação Paraty Cultural, a conhecida Casa da Cultura de Paraty. De portas abertas, o casarão histórico abriga três exposições, uma instalação e também as palestras, demonstrações, queimas e oficinas programadas para o evento. Do lado de fora do casarão, na igualmente histórica rua Samuel Costa, tudo está preparado para receber a famosa (e esperada!) feira ao ar livre, um dos pontos altos do Encontro que, a cada ano, ganha a adesão de novos artistas e concentra um grande número de visitantes em suas barracas cheias de atrações, entre peças de arte e utilitários de excelência em qualidade, beleza e estética.

Em paralelo, o XI Encontro acontece com o objetivo de oferecer oportunidades concretas de formação de novos ceramistas, não apenas durante as oficinas e cursos previstos nos três dias do evento, mas estendendo-se por três meses (até meados de junho), em atividades educativas na própria Casa da Cultura, visando cumprir as metas de um cuidadoso programa educativo voltado para alunos das escolas públicas da região. “A questão da formação é muito forte nos nossos propósitos de realização desse evento, trata-se de uma verdadeira missão do Instituto Arte 4 com as novas gerações da cidade”, afirma o artista paratiense Dalcir Ramiro, o Cizinho.

Ceramista premiado e reconhecido internacionalmente, Dalcir é idealizador e curador do Encontro de Ceramistas. Ele reforça esse valor educativo, destacando mais uma vez a cooperação do CoAr, grupo da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro que trabalha uma cerâmica mais experimental e que vai comandar uma oficina para crianças da escola de Educação Infantil Pingo de Gente, e do British Council, organização internacional do Reino Unido, para a qual o artista desenvolveu em cerâmica peças representativas da obra de Shakespeare.

Para Dalcir Ramiro, preparar cada Encontro é um desafio que só faz crescer sua certeza de que Paraty já é referência em cerâmica no País. “A cidade vive hoje a realidade de aglutinar o interesse por cerâmica. O Encontro retrata isso, é um evento sólido, aguardado não só por moradores, mas também por visitantes assíduos e os turistas que são pegos de surpresa acabam elogiando muito, aderindo e participando com entusiasmo das atividades. De nossa parte, a realização do Encontro é uma responsabilidade que temos com a classe de ceramistas na região, especialmente por ser uma oportunidade muito rica de diálogo com todos os artistas participantes. É inegável, a cerâmica está crescendo muito, cada vez mais pessoas se interessam pelos conhecimentos da esmaltação, do uso do torno… Cerâmica está na moda”, afirma Dalcir, com entusiasmo renovadro, por reunir neste XI Encontro não só artistas de Paraty e arredores, mas também ceramistas de todo o estado do Rio de Janeiro: “Nosso objetivo é intensificar a produção de cerâmica na região. O intercâmbio é sempre muito rico, junto a ceramistas de Niterói e do Rio, por exemplo, haverá artistas de São Paulo e de Cunha, e ainda internacionais, do Peru, do Japão, da Itália, de Portugal e Argentina.”

“Nesse momento tão avançado da tecnologia, o fazer à mão, o criar com barro é uma forma de retorno às origens. Porque a argila é o material mais antigo da história do homem. Fazer cerâmica, hoje, chega a ter até valor de terapia, por possibilitar momentos de reflexão em meio a todo um universo mecânico e tecnológico. E basta olhar em volta, a cerâmica está em tudo na vida cotidiana de todos nós: na casa, nos utensílios, na nave espacial”, diz o artista.

Confira aqui a programação e participe, reservando um tempo para admirar as exposições e pôr “a mão na massa” em oficinas e cursos surpreendentes.

CERIMÔNIA DE ABERTURA

Na noite de quinta-feira, 13/4, às 20 horas, conferência de abertura no Auditório da Associação Paraty Cultural, com a convidada internacional Adriana Martinez. Argentina, de Buenos Aires, a artista, especializada em técnicas pré-colombianas, traz a Paraty sua intrigante arte de fazer assobios, imprimindo sonoridade à cerâmica, em peças curiosas e delicadas – seus chamados “assobios de água”.

EXPOSIÇÕES (com abertura na noite de quinta-feira, 13/4, às 21 horas)

Acervo. Na Sala Samuel Costa, exposição de peças do acervo do Instituto Arte 4, representativas de obras de artistas célebres da cerâmica contemporânea e da história do Encontro de Ceramistas em Paraty. São eles, Adriana Martinez, Alberto Cidraes, Alina Fonteneau, Heloísa Alvim, Magela Borbagatto, Maneno Ceramista, Mario Donadio, Patrício Cordeiro, Rodrigo Saramago, Sérgio Amaral, Silvia de Bock, Tácito Fernandes, Tino Sartori, Toshuyuki Ukeseki e Wandecok Cavalcante. Até 7 de maio, na Associação Paraty Cultural (Casa da Cultura).

  • USAR – Cerâmica Utilitária de Paraty. Na Sala Dona Geralda, exposição de peças utilitárias, feitas por ceramistas da cidade. Até 7 de maio, na Associação Paraty Cultural (Casa da Cultura).

 Coletiva Ceramistas de Paraty e instalação “O Jardim”. No Salão Nobre, 39 ceramistas de Paraty (veja o quadro) expõem seus trabalhos e apresentam a instalação O Jardim, com montagem do artista plástico Milton Mota. Até 9 de julho, na Associação Paraty Cultural (Casa da Cultura).

OFICINAS E CURSOS

Durante o Encontro, oficinas dirigidas a adultos e crianças acontecem na Casa da Cultura, entre elas a oficina de modelagem, com Tonia do Embu, oficina de utilitários, com Lulu Silva Telles, e oficina de escultura, com Rodrigo Saramago.

De 14 a 16/4, no Ateliê do Dalcir, curso de instrumentos musicais com a ceramista argentina Adriana Martinez.

DEMONSTRAÇÕES

Leí Galvão, que cresceu em Cunha, influenciado pela arte da cerâmica, demonstra sua familiaridade na arte de moldar o barro usando o torno, em sessões abertas ao público. Entre outras demonstrações, torno coreano, com Alberto Cidraes, e escultura em argila, com Patrício Cordeiro.

FEIRA AO AR LIVRE

De 14 a 16 de abril, sexta a domingo, das 10 às 21 horas, na Quadra da Matriz, vai abrigar as barracas da aguardada feira de cerâmica do Encontro, com exposição e venda de peças de diversos artistas, em diferentes linguagens – esculturas, utilitários, bijuterias etc.

Endereços e contatos:

ASSOCIAÇÃO PARATY CULTURAL (Casa da Cultura de Paraty) Rua Dona Geralda, 177, Centro Histórico

ATELIÊ DO DALCIR
Rua Santa Rita, 65, Centro Histórico, (24)3371 1214

O XI ENCONTRO DE CERAMISTAS EM PARATY NA WEB
FACEBOOK: https://www.facebook.com/encontrodeceramistasemparaty BLOG: http://encontrodeceramistasemparaty.blogspot.com.br/

Ficha técnica do XI Encontro de Ceramistas em Paraty (2017):

Curadoria, Dalcir Ramiro. Coordenação geral, Luciana Marsílio. Produção, Flora Petri. Conteúdo, Claudia Ferraz. Coordenação de montagem, Og Torres. Fotografia, Phelipe Paraense. Projeto expográfico, Guilherme Zoldan. Iluminação, Sibel dos Santos Barros Jr. Web marketing, Caio Pádua. Projeto gráfico, Marcus Prado. Assessoria de imprensa, Antonia Moura. Montagem da instalação “O Jardim”, Milton Mota.

Apoio institucional, Prefeitura Municipal de Paraty. Parcerias: Associação Paraty Cultural e Núcleo de Mídias, Artes e Tecnologia. Apoio/Agradecimentos: ICCC – Instituto Cultural da Cerâmica de Cunha, Atelier do Dalcir, Marcos Ribas, Ceramistas de Paraty, Arte 8 Cerâmica Paraty, Casa Azul, Paraty Convention&Visitors Bureau, Paraty Tours, Secretaria de Cultura de Paraty, Prefeitura Municipal de Paraty.

Realização: Instituto Arte 4.