Quase tudo o que você precisa saber sobre Paraty

VOLTAR

Quase tudo o que você precisa saber sobre Paraty

Exposição na Casa da Cultura, a partir de 28 de novembro, revela curiosidades saborosas sobre história, arquitetura e cultura de Paraty, em diversas épocas

Você sabia que… O nome da cidade já foi escrito de várias formas: Paratii, Paratÿ, Parathy e Paraty –e que este último é a forma oficial? O significado, na língua dos índios Guainás, quer dizer “alagado de mar, pequeno golfo ou jazida do mar”, segundo Teodoro Sampaio, em sua obra O Tupi na Geografia Nacional. Outra curiosidade: o calçamento de pedras irregulares que aqui chamamos de “pé-de-moleque”, em outras cidades é conhecido como “capistrana”. Esse tipo de calçamento, inclinado para o meio da rua e canalizado para o mar, é de tradição, portuguesa e serve para escoar a água das chuvas para o mar.

Nem todo mundo sabe também que, no Centro Histórico, as portas altas e largas, pintadas de vermelho sangue, são os “Passos da Paixão” e guardam em seu interior um altar. Somente se abrem para as procissões do Encontro e do Enterro, na Semana Santa. E a igreja mais antiga do município, qual é? A Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Paraty Mirim, de 1720. Já na cidade, a mais antiga é a Igreja da Santa Rita, de 1722.

Essas e muitas outras informações estão na exposição Quase tudo o que você precisa saber sobre Paraty, que estreia em 28 de novembro e fica aberta ao público até 4 de março de 2018. Os ciclos econômicos, os símbolos maçônicos nas casas, a cultura caiçara, os quilombos, a Estrada Real, são alguns assuntos abordados pelo pesquisador Diuner Mello, curador do conteúdo da exposição. “É a curiosidade que faz o homem evoluir”, diz Mello.

No caso especial do brasileiro, ele menciona como exemplo a mania de tocar os objetos que vê, como se não bastasse olhar, e sim tocar, sentir a textura. As curiosidades serão apresentadas em textos, fotografias e elementos como remo, canoa, garrafas de cachaça, e uma maquete para ilustrar detalhes da arquitetura da cidade. “Será uma oportunidade de conferir as curiosidades que muitas vezes são divulgadas de maneira irreal ou incorreta”, diz o curador.

Aliás, “você sabia que…” O sobrado da Casa da Cultura é o único a ter sobre a porta de entrada uma cartela de madeira com a data de sua edificação – 1754, e ampliações 1761 e 1860? A casa, que inicialmente foi residencial, também abrigou um armazém, uma escola mista, e no século 20 foi a sede do Paratiense Atlético Clube, com famosos bailes e carnavais. Mas o fato mais curioso é que sua fachada, no piso superior, exibe uma incomum simetria, de origem maçônica: o vão entre a segunda e a terceira porta mede o dobro do vão entre a primeira e a segunda, enquanto o vão entre a terceira e a quarta mede exatamente a soma dos dois vãos anteriores. Ou seja, a soma das partes é igual ao todo.

Duvida? Mais uma razão para conferir de perto a exposição Quase tudo o que você precisa saber sobre Paraty.

Texto: Rosane Queiroz

Curadoria de conteúdo: Diuner Mello